Ordem no jornalismo da Record e Band é desconstruir imagem de Fernando Haddad

Após seu dono, Edir Macedo, declarar em suas redes sociais o voto em Jair Bolsonaro, o jornalismo da RecordTV mudou sua postura quanto ao tratamento dos candidatos. Na semana passada, quando ocorreu o último debate com os candidatos a presidência, a emissora dedicou 25 minutos de seu principal telejornal para uma entrevista com o presidenciável Jair Bolsonaro, que saiu vitorioso no primeiro turno das eleições com mais de 49 milhões de votos. Nesta semana, definido Fernando Haddad (PT), como seu adversário, já partiu uma ordem do alto escalão da emissora: desconstruir a imagem do candidato do PT ao Palácio do Planalto. 

Segundo informações do Noblat, os ataques são diretos à Fernando Haddad e também a todos que o apoiarem neste segundo turno das eleições, a começar por Ciro Gomes (PDT), que recebeu 13,5 milhões de votos no último domingo, terminando na terceira colocação. A Igreja Universal, também deverá fazer campanha de forma indireta, como sempre fez para os candidatos do PRB, seu braço político. 

A Band, que chegou a comemorar o impeachment da ex Presidente Dilma (PT), através de um editorial, também não quer de jeito nenhum a volta do Partido dos Trabalhadores ao Governo, a ordem também é promover ataques a imagem do ex-Prefeito de São Paulo. 

Nesta quinta feira (11), a RecordTV deu ampla cobertura a agenda de Jair Bolsonaro, dando ênfase também no plano de dar 13º aos beneficiários do Bolsa Família.

Post Relacionados